quarta-feira, 31 de março de 2010

Pombo Correio

Ô moço.

Escute bem esse lamento. Sei que sabe bem de onde vem. É um recado do coração.

Tenho certeza que nenhuma outra mulher nesse mundo te ama mais do que ela. Ela te ama tanto que tem medo de te perder, tem medo de ficar longe de ti! Volta, não fique assim tanto tempo longe! Ela quer lhe dar seu amor e quer teu abraço, teu beijo, teu carinho!
Compreenda moço, ela sente sua falta! Ela te quer pertinho, ficar enlaçada em seus braços.
Quer pedir desculpas;

Ô moço. Não seja cruel em suas palavras. Quem ama normalmente faz besteira mesmo. Ô vai dizer que o senhor nunca fez besteira? Vamo moço, o senhor volta e ela vai tá lá, pra te fazer muito feliz, pra te dar muitos abraços, e lembrar que a vida é boa!

Eu vim de longe, e posso não entender muito não, mas eu sei como são as coisa do coração!

terça-feira, 30 de março de 2010

Sem mais.




Dedicado a Lohren Beauty e Deco Ribeiro


Parte 1

Estava tudo pronto. A roupa passada, a sandália separada. Queria se sentir uma rainha, a mais linda e poderosa de todas as drag's que ia encontrar. Se vestiu como se nada fosse mais importante, passou a maquiagem no rosto com alguma dor, e calçou a sandália com cansaço. Como se prevesse que por mais bonita que ficasse, nada ia mudar. Na rodoviária, com seus amigos, foi pela última vez, em direção a felicidade que nunca mais seria sua.

Parte 2

De alguma forma tudo estava diferente. De seus amigos, agora os sentia tão distantes, ao grupo, via que tudo aquilo era o que mais queria mas não possuia mais. Daquela forma, de um jeito ou de outro, estava errado mesmo. Não era o que sempre viveu, durante um ano, e sabia que alí não era mais o seu lugar.


Parte 3


Com dores, e com o coração na mão, voltava, não queria mais nada, queria apenas chorar, esquecer. Em casa, alguns comprimidos, lágrimas, lágrimas e jovens arco íris saindo, bailando, brilhando e colorindo seu sono. Sem mais voltar.

Parte 4

No dia seguinte mancou o dia inteiro de dor nos pés, do salto alto que teve coragem de usar o dia anterior inteiro. Precisava mostrar para todos que sua beleza era maior que sua tristeza, mas não conseguira. Todos viram que estava abatida. E pensando, agora em casa, ela vira o quanto aprendera, o quanto crescera, e o quanto era feliz por ter conquistado tantos amigos alí. Agradecia tanto! Aquilo tudo, levaria para a vida inteira, mas jamais seria uma experiência eterna.
O amor e dedicação a que ela se deu ao grupo foi algo que só ela sabe e entende, mas agora ela vê que precisa continuar,feliz, ativista, mas de outras formas, conhecendo outras pessoas, e crescendo cada vez mais como pessoa.


DudibilisWoodabolis;

segunda-feira, 22 de março de 2010

Confusão

Sinto injustiça ao dizer a ela que 'prefiro lá do que aqui, que esse lugar me faz sentir raiva e dor e que não sou feliz aqui'. Sinto dor ao pensar que apenas lá sou plena, e não consigo viver sem certas coisas. Sinto angústia ao pensar que isso é uma ingratidão. Ela diz que tudo que eu faço é errado, que preciso fazer mais, e me falta a gratidão, o carinho, e a união.
Sinto falta das perguntas de como foi o dia e de como estou. Pois só ouço ordens.
Pode sim ser injusto de minha parte, mas eu sinto assim, e me sinto mal por pensar que não quero mais ficar aqui, quero lá, quero a paz das pessoas que lá me recebem com carinho, me enchem de perguntas, me fazem sentir a mais querida das pessoas, me fazem sentir parte da família.
Eu sou parte de lá, de alguma forma. E daqui também, mas aqui está doendo tanto, todos os dias, a mesma coisa, os mesmo gritos e ansias, e nada de novo, nenhum sorriso, nem interação. É cada uma na sua e só abrimos a boca pelas cachorras, ou pelo xixi delas. Isso aqui está se perdendo, e eu temo.
Ela disse para eu voltar a relidade e parar de pensar nisso, e sinceramente, percebi que ela não entende. Lá também é minha realidade, é a minha parte mais linda e incrível dos meus dias.
Aqui é uma rotina da minha realidade.
E a outra disse para eu então mudar minha escola para lá, ir morar lá. Como uma dependente financeira de todos os problemas. Não entendem realmente.
Eu quero voltar, eu preciso voltar, me sinto só, sem doçura, nem ferocidade, e sem nem um estoque de lágrimas, ele se esvaiu todo, e eu preciso de emoções, preciso de algo bom para viver !
Por favor, a fera está machucada.

Saudade

''Diz-lhe numa prece, que ele regresse
Porque eu não posso mais sofrer
Chega de saudade a realidade é que sem ele
Não há paz, não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai...''

(Chega de Saudade - Tom Jobim & Vinicius De Moraes)

A saudade...Só me conformo com a despedida pois tenho a certeza absoluta que dentro de alguns dias estarei contigo de novo. Mas embora tanto tempo depois da primeira viagem, nunca me acostumei e tenho certeza que nunca me acostumarei a ela, que vai me sugando inteira a partir do momento que entro no ônibus e as lágrimas correm pela minha face. E passa-se uma semana e parece vários meses, e três semanas, e é quase um ano pra mim, e com alguma dificuldade de comunicação, os sorrisos vão aparecendo de volta, as lágrimas cessam, e quando vemos, dentro de uma semana estaremos juntos de novo! Nada, nada me faz mais feliz no mundo do que a ansiedade gostosa do dia de ir te ver, de novo, sentindo todo o turbilhão de sentimentos de novo, fazendo aquele friozinho na barriga subir até a garganta!
E o beijo, o abraço, o mundo parando e todos os sons diminuindo, e só existe eu e você, apenas nós, o nosso abraço e mais nada...
Saudade...

Mudanças assim.

Se eu mudei de uma forma masculina para outra feminina, tenho certeza que não foi por causa de sexualidade. Sim, comecei a namorar e me tornei 'mulherzinha'. Mas meu namorado me amava da maneira que eu me vestia, e agora que mudei o estilo ele continua a me amar. Creio que pode soar meio estúpido, mas eu amava minha maneira de me vestir, adorava vestir camisas e calças largas e a transição não foi fácil, tinha ódio por cor de rosa e saias e vestido. Acho que pode ser algo relacionado a minha maturidade, ao meu crescimento. Quando comecei a me vestir de forma mais feminina, me sentia a própria travesti. Senti que aquilo não podia ser eu, eu queria de novo meus tênis e casacos.Mas quando você começa a receber elogios, a ver que pode ser bonita de várias formas, você gosta, se acostuma. Eu gosto, me sinto muito bem, sexy, bonita. Também me sentia bonita nas roupas masculinas. Me caiam bem de certa forma. Essas cor de rosa me caem diferente. E eu gosto muito também. Mas acho que o jeitinho menino nunca sairá de dentro de mim.

Beatriz x3


E quando ouvi ela chamando por mim, meu coração saiu do compasso, sua risada ao entrar em casa, me fez abrir um sorriso como nenhum outro. Sentia saudades, sentia vontade de abraçá-la inteira, de dar beijinhos, de ficar agarrada ao seu pequeno corpo ligeiro, que grita por leite e desenho. Grita pelas pessoas que quer, e corre, chacoalhando seus lindos cachinhos.
Falando embolado, ele já diz tudo o que quer dizer, já teima nas coisas e pede tudo o que precisa.
Pessoinha mais linda, que desenha seu mundo de um jeito tão particular, de todas as formas e jeitos, a todos os momentos se expressando, no grito, no choro, na risada, na dança.
No balbulciar de uma palavra as vezes ininteligível, contando suas aventuras mais lindas, ela me cativou, me tornou sua, completamente apaixonada, eu não sei mais viver sem sua voz e sua confirmação quando a pergunto se me ama.

Escrevivendo 2

Mamãe estava mal. Sentia muitas dores e fulvos, então decidimos levá-la ao hospital. Entramos eu e ela na jarete, a vizinha foi dirigindo, e empoucos gipsios, estavamos no pronto socorro.
Lá, depois de vários barbonos, tomando remédios na veia, deitada na caterva, disseram que ela estava com infecção de urina!
Saímos de lá de madrugada.
No dia seguinte não fui a escola, e fiquei durindo a tarde inteira. Seis horas em um hospital acabam com qualquer um!!


Amanda Brusi, Escrevivendo 2, 17/03/2010

caterva = grupo de arruaçeiros/ladrões
durindana = espada muito grande, de Orlando Furioso
jarrete = a dobra do joelho
fulvo = pessoa de cabelos loiros
barbono = barba grande e espessa
gipsio = feito de gesso

De qualquer forma

Sabe mãe, você pode dizer pra sempre o quanto eu te deixo brava, nervosa. O quanto eu fui idiota ou fui errada. Mas você jamais vai poder dizer nada sobre a minha tristeza, porque é algo que não dá pra medir. Nós vivemos tristes. Nós convivemos bem, de alguma forma, mas vivemos tristes, cada uma na sua. E você não pode falar sobre a minha tristeza, infinita.

terça-feira, 16 de março de 2010

Sensações



Te querer em cada momento
Sonhar com teus beijos
Sentir teu cheiro
Ouvir tua voz doce, dizendo que ama, que me quer.
Sentir o toque da tua pele
Teu jeito criança
Teu jeito menina,
Teu jeito mulher
Teu gosto em minha boca
Tuas mãos percorrendo meu corpo.
Me desejando.
Me apertando.
Me acabando.
Te amo.

por Jailton Lima da Silveira.

(L)

Café da manhã;

Família é algo sagrado. Pessoas que tem no sangue, um pouco de nós. O amor por esses me faz os querer bem, unidos, em paz, embora o destino seja traiçoeiro, e algumas vezes, apesar do enorme amor, me faz aparar arestas que muitas vezes prefiro não tocar. O amor supera barreiras, e com a ajudado tempo, sei que tudo pode melhorar. Mas no presente a dor machuca, a desunião quer se meter. E penso que não tem jeito, que será sempre assim. Quando percebo que família pode ser muito mais do que pessoas do seu sangue, mas também todas aquelas que te fazem bem e estão ao seu lado nos momentos difíceis, agradeço por esse momento, a todos vocês, por com suas presenças e palavras, fazerem tudo para mim ficar certo. Como num súbito de admiração, eu agradeço por tudo, por todo o tempo, carinho e respeito. Família é algo de importância maior para mim, e eu sou tão feliz de ter vocês na minha!

*Texto pensado para o café da manhã, dia 20/03/2010 Aas -SP

'-'

Eu não quero fazer nada, eu só quero chorar, porque a saudade me prendeu e não quer me largar.
Alguém por favor, faz ela me soltar?

segunda-feira, 15 de março de 2010

Prevista

SP-AAS , duas horas e meia de viagem, passagem inesperada, companhia prevista, sono, música, livros, note, blogs, escritas, palavras, palavras e mais palavras!
Nada melhor!
Dois dias depois. O resultado (:

(...)
Ricardo: Amanda é seu nome, certo?
Dudibilis; : Amanda Brusi, muito prazer.
Ricardo: Ricardo Chapola, enchanté
Ricardo: =)


Eu digo que Araras é incrível. Olha no que dá. :D


#recomendo www.daprosaapoesia.blogspot.com

PS: NUNCA RELACIONEM DÚDAH A EDUARDA OU MARIA EDUARDA ;

Apenas mais um de amor

E a partir do momento que eu te dou o 'último' beijo e entro no ônibus, e fico alí, olhando você ir embora, perdendo-te de vista, as lágrimas rolando com uma facilidade assutadora, a saudade começa a roer, a possuir.
Cada célula do meu corpo, vai sendo tomada por um sentimento confuso, de tristeza e de agonia, de ter que deixar toda a paz embora, mas ao mesmo tempo uma felicidade imensa de ter vivido tudo aquilo com você, com todos vocês.
E eu penso que a vida é algo maravilhoso, pois eu sei que embora eu esteja sendo percorrida por um sentimento que me faz ficar com o rosto inchado de tanto chorar, eu sei que logo algumas semanas se passarão e eu vou chorar, chorar de alegria de poder pular em seus braços novamente, poder te abraçar, te sentir comigo de novo!
E a paz voltará, e eu sairei da rotina, e tudo será certo novamente.
Por apenas mais uns dias.
Alguns dias mais, nos seus braços. Paz.
Amor.

terça-feira, 2 de março de 2010

Sorriso



Ria como uma criança.
Seu sorriso lindo me traz um misto de sensações:
Alegia, prazer.
Orgulho.
Paz.
Te ver rindo me dava novamente a certeza do quanto eu sou feliz.
E alí, não teria chance para os problemas.
Ouvir seu riso e depois vê-lo sorrindo para mim
Fez borboletas dançarem no meu peito,
Me fez ver todas as estrelas do universo no mesmo sorriso.
Hipnotiza, balança.
Acalma.
VOcê, como sempre.

(In)Constante


Meu pai tem um tom de pele de cor linda, escura. Rugas fundas do lado dos olhos e uma pinta pequena no lóbulo da orelha esquerda. Tem olhos bonitos, mãos fortes e unhas perfeitamente bem feitas.
Ele sempre comenta o quanto eu estou alta, ou creci, ou talvez, a minha beleza.
Meu pai rí de um jeito muito bonito; Eu reparo isso, embora poucas vezes ele olhe para mim de frente.
Ele sempre fala de sua familia, das pessoas lá do Chile, aquelas que eu gostaria muito de conhecer.
Fala muito sobre sua saúde.
E diz como gasta muito dinheiro.
Não pretendo entender isso como dicas, mas tanto faz.
Eu ainda acho que a cor de sua pele é linda.

Ele não me apresentou a minha irmã.
Ocorreu um erro neste gadget

A TOCA;

Criação do Layout por
Fabricio Leal
leal_fabricio18@hotmail.com