sexta-feira, 28 de maio de 2010

Dash Nº1

Não sei o que significa Dash.
Pra mim é amigo. (desculpe pessoa nerd que conheçe o sigtnificado okok)
Pra mim ele é isso, uma hora grande, com tantas expectativas me criando.
Me recebeu primeiro. Nº1.
E depois, um cara que eu troquei duas palavras.
Mas me deu um sorriso, cabelos lindos de viver, e uma palavra tímida, como ''prazer em te conhecer''
É um super prazer estar te conhecendo, poder contar contigo de alguma forma.
Tolinho.
Acredite quando digo que gosto de você,é sério.
Acredite, acredito em você.
Te gosto.


E queria te ver sem calças.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Definição e Opinião.

DEFINIÇÃO

A pedofilia, atualmente, é definida simultaneamente como doença, distúrbio psicológico e desvio sexual (ou parafilia) pela Organização Mundial de Saúde. Caracteriza-se pela atração sexual de adultos ou adolescentes por crianças. O simples desejo sexual, independente da realização do ato sexual , já caracteriza a pedofilia. Não é preciso, portanto que ocorram relações sexuais para haver pedofilia.O fato de ser considerada um transtorno, não reduz a necessidade de campanhas de esclarecimento visando a proteção de nossas crianças e adolescentes e nem tira a responsabilidade do pedófilo pela transgressão das barreiras geracionais.


OPINIÃO


Sendo doença, ou não, pedófilos são pessoas extremamente ruins. Tem consciência de sua patologia, e fazem o que fazem. Abusar de um menor vulnerável, que não tem como se defender, e na maioria das vezes não sabe nem o certo e errado da vida, não tem opinião própria, é ato de pessoas completamente sem coração, desprovidas de espirito. Uma criança que sofre uma violência dessa geralmente fica com traumas para a vida toda. Pedófilos, por vezes sendo pessoa de confiança, induzem a criança a não contar nada a ninguém, assim levando a situção por muito tempo. As consequências são sentimentos de culpa, baixa auto-estima, entre outros.
Faça mais algum mal, juro, conheçerá a fera que há dentro de mim.

Grawr.

obs/nunca sofri pedofilia.

Agorafobia

O que é?
A agorafobia é o comportamento de evitação provocados por lugares ou situações onde o escape seria difícil ou embaraçoso caso se tenha uma crise de pânico ou algum mal estar.
Características
A relação entre a agorafobia e o pânico é muito próxima. As crises de pânico são bastante desagradáveis, mas não afetam o ritmo de vida como a agorafobia faz: torna os pacientes dependentes de outras pessoas para sair de casa e fazer as coisas mais elementares como comprar um pão na padaria. A agorafobia pode impedir o paciente de ir ao trabalho, ao médico, de ajudar quem dele precisa. Pode até impedir o paciente de comparecer a ocasiões especiais como o casamento do próprio filho. A agorafobia pode tanto se manifestar de forma específica ou generalizada como sair de casa. Os lugares específicos mais freqüentemente atingidos pela a agorafobia são os túneis, passarelas, pontes, avenidas largas ou rodovias; pode se manifestar pelo medo de multidões como nos shopping centers, restaurantes, filas, cinemas, teatros, elevadores. A limitação eventual incomoda pouco, mas quando atinge locais essenciais como ônibus, carros, metrô ou trens a vida do paciente fica bem mais comprometida. Toda essa dificuldade sempre é superada pela companhia de alguém: às vezes basta uma criança como companhia para o agorafóbico sentir-se tranqüilo. Por causa da necessidade de companhia, a agorafobia interfere na dinâmica da família. Há pacientes que não toleram ficar sozinhos em casa, precisando ou exigindo a presença de alguém. Este tipo de problema provoca irritação nos parentes que quando não conhecem o problema passam a hostilizar ou ridicularizar o paciente que sofre com sua ansiedade e com a incompreensão. Quando o tratamento não é feito ou não é conhecido, o paciente realmente depende da presença de outras pessoas, e surge com isso um sentimento de culpa por estar interferindo na vida dos outros e ao mesmo tempo uma inconformidade com essa situação incontrolável é incompreensível para o próprio paciente. A impossibilidade de solucionar o problema leva o paciente a pensar em suicídio e a desenvolver um quadro depressivo.
Tratamento
A agorafobia é um transtorno resistente às medicações: ou ela remite espontaneamente ao longo do tempo, paralelamente ao tratamento dos transtornos relacionados com o pânico como a depressão, ou ela permanece. A terapia cognitiva comportamental é a única técnica eficaz conhecida para tratar a agorafobia.

domingo, 23 de maio de 2010

Doçura

Sinto falta dessa minha toca. Tão particular, mas tão exposta.
Minhas situações são tantas, são tantos sentimentos na cachola, e eu não sei como expressar tudo isso.
Sinto que preciso externar todas essas emoções de uma forma saudável, e quero fazê-lo aqui, dividindo com vocês, meus humildes leitores, tudo isso; a agonia e felicidade de uma pessoa, que tantas vezes se transforma em fera.
Uma fera, que machuca, que magoa, mas que ama com todas as forças, que tem certezas, que nunca abandona.
As vezes perde seu rumo, mas sempre volta, porque tem proteção.
Peço desculpas a quem lê essas palavras tão sinceras, mas eu não posso ficar escrevendo minhas mazelas, como uma pessoa que só reclama da vida. Preciso fazer as coisas do jeito certo.
Estou aprendendo a ver o lado bom das coisas, a tornar as coisas melhores.
Rugidos.


DF.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Cleptomania.

O que é: A Cleptomania caracteriza-se pela recorrência de impulsos para roubar objetos que são desnecessários para o uso pessoal ou sem valor monetário. Esses impulsos são mais fortes do que a capacidade de controle da pessoa, quando a idéia de roubar não é acompanhada do ato de roubar não se pode fazer o diagnóstico.
Como é o paciente com cleptomania?Aparentemente o cleptomaníaco é completamente normal não há um traço identificável fora do descontrole em si mesmo, ou seja, não é possível identificar o cleptomaníaco antes dele adquirir objetos. Após o roubo o paciente reconhece o erro de seu gesto, não consegue entender porque fez nem porque não conseguiu evitar, fica envergonhado e esconde isso de todos. Essas características se assemelham muito ao transtorno obsessivo compulsivo, por isso está sendo estudada como uma possível variante desse transtorno.
Qual o curso dessa patologia? A cleptomania geralmente começa no fim da adolescência e continua por vários anos, é considerada atualmente uma doença crônica e seu curso ao longo da vida é desconhecido, ou seja, não se sabe se ocorre remissão espontânea. Geralmente a cleptomania é identificada nas mulheres em torno dos 35 anos e nos homens em torno dos 50.
Tratamento Nâo há tratamento eficaz até o momento aceito, tentativas estão sendo feitas com terapia orientada ao insight nos EUA, terapia cognitivo comportamental e medicações, apenas com resultados parciais, algumas pessoas melhoram outras não. Também não se tem certeza se a melhora observada foi devido à atenção dada ou se foi pelo tratamento especificamente.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Fotografia;




Para Fabrício Leal

Fotografo porque me traz paz. Porque posso mostrar pra mim e pra todos o mais lindo do mundo. Posso mostrar os detalhes, deixar registrados cenas memoráveis, capturar a beleza das coisas mais simples.
Fotografo pra mostrar pra mim o quanto eu sou feliz, rodeada de coisas, de pessoas bonitas.
Para guardar sempre as coisas boas da vida, a melhor parte do que vivo, do que vivemos, juntos.
O essencial.

Fotografo o invisível aos olhos.
Ocorreu um erro neste gadget

A TOCA;

Criação do Layout por
Fabricio Leal
leal_fabricio18@hotmail.com