sábado, 30 de outubro de 2010

Quem sabe?

Ninguém me preparou para esse momento. Será que as notas serão suficientes? Sabe direitinho quando tem que entregar todos os trabalhos? Não sabe, não serve, você não é uma boa aluna.
Não sabia de toda a pressão em cima de uma prova de bolsa, em cima de uma escolha para toda a vida. E todos repetem a mesma coisa: você vai conseguir.
Será que eles tem certeza, como se fosse uma previsão coletiva, ou simplismente depositam a sua fé em mim, e se eu não conseguir, decepcionarei a todos?
Porque não posso pegar um minuto e falar '' PAREM TODOS VOCÊS! Não quero saber de escola, de faculdade, de prova, de último ano! Eu quero que fique tudo bem, por um segundo, só um pouco.''
Tenho ciência que não estou preparada para tudo isso, e que não tenho tempo para me preparar. Minha escola é um lixo, e é um agravante, como se fosse mais uma pessoa dizzendo ''vai, você precisa se esforçar mais ainda ''
Será que não dava pra avançar no tempo e pular esse nervosismo absurdo, e já entrar logo na faculdade? Pra que tantas provas, tantas dúvidas, tanto sofrimento inútil...
Eu só tenho medo. De não conseguir, de me decpcionar, e aos outros, estragar o plano da minha vida. O que eu vou fazer? Aguentar.
Ninguém disse que ia ser fácil mesmo.

Psicanalista

É uma linha lógica. Viver cuidando de uma mãe doente me fez assim, cuidadosa e preocupada com os outros. Talvez o fato de ter sofrido certo abandono e humilhações na infância fizeram com que eu não me preocupasse comigo. Que eu tenha me desvalorizado. Sei que pra você há relação entre todos esses fatos ocorridos na minha vida, com a minha infância inclusive o fato de eu ter entrado em uma ONG, escolher cursar psicologia, etc.

Em minha opinião, eu entrei em uma ONG porque queria me encontrar. Cuidar de mim. Precisava de informação, saber se o que sentia era certo. E descobri a Bruna. Com ela percebi que precisava ajudar. Ela sofreu muito, e eu sempre a amei demais, e ainda amo. E na possibilidade de fazer mais, porque não fazer? Eu poderia não fazer nada, e ir estudar. Mas eu queria mais, eu queria conhecer como era tudo aquilo, queria fazer parte daquilo.

Dedicando-me a isso, meu rendimento escolar caiu. Mas eu estava feliz. Eu conheci o amor da minha vida, e ele me mostrou outros ângulos da coisa. Eu precisa me enxergar. Desde o começo eu pensei que não poderia cruzar o limite de sua família, que seria sempre ‘’a namorada dele’’ e nunca ‘’a nora’’, ‘’a cunhada’’, ou ‘’a tia’’. Mas eu consegui, eu os conquistei, como eles a mim, e eu sinto uma felicidade enorme, em de certa forma, fazer parte da família. Eles me tratam assim e eu me sinto assim. E nada, nada muda isso, porque eu sei a maravilha que é ser chamada de Tia Amanda. E eu posso ficar uma semana inteira com ela fazendo mamadeira e dando banho, porque eu gosto de fazer isso. E não me importo, porque me faz feliz.

E eu sei o que eu quero fazer da minha vida. Eu sei que ano que vem estarei em um cursinho debatendo faculdades e profissões. Porque eu quero o melhor pra mim, e se eu puder entrar em uma boa faculdade pra ter uma ótima profissão, maravilha.

Se for psicologia, ótimo, eu adoro poder compartilhar experiências, aprender com elas, e assim, poder ver como melhorar em conjunto. Eu adoro as pessoas, e talvez seja mesmo porque eu cresci cuidadosa e preocupada. Talvez eu deva mesmo me preocupar mais comigo. Mas eu só espero poder continuar exatamente desse jeito.

sábado, 23 de outubro de 2010

Futuro.

Hoje, como todo sábado, fui almoçar com minha 'familia'. Minha mãe e eu fomos a um restaurante self-service e enquanto estávamos comendo, em um silêncio irritante, reparei na mesa ao lado.
Havia um jovem casal, por volta de seus 30 anos, com a filha, talvez um ano de idade.
Ela brincava com a menina enquanto ele ia buscar a comida, reparei que ela tinha lindas tatuagens nos ombros, claves de sol e de fá. Quando o marido voltou e ela foi fazer seu prato, a menina ficou no colo, ganhando comida na boca, e suco.
Ele era só sorrisos para sua filha, de cabelos curtinhos e ruivos, roupinha pequenina de criança. Quando a mulher voltou, lhe deu um beijo. Percebí que alí tinha paz, harmonia, mas acima de tudo tinha um amor enorme.
Foi tão bom ver aquela cena, imaginei como se eu pudesse viver aquilo também.
Casar com o meu amor, e continuar amando-o. Poder ter uma filha, e levá-la comigo para todos os lugares. Poder viver a experiência de ser mãe, criá-la junto com o meu amor, e sermos muito, muito felizes.
Eu me imaginei feliz daquela maneira e foi ótimo. Eu ví que aquele casal se ama.
Me senti feliz por amar um homem maravilhoso e por ser correspondida da mesma forma, por viver um relacionamento feliz e estável.
E eu imagino o meu futuro assim, feliz e amando, demais!
Sweet (L)

sábado, 9 de outubro de 2010

Hipocrisia

Hipocrisia? Você é hipócrita?
Definição de hipocrisia: Manifestação de fingidas virtudes, sentimentos bons, devoção religiosa, compaixão etc.; fingimento, falsidade.

Em ano de eleição é muito fácil um candidato acusar o outro para levar vantagem sobre o eleitorado, e assim, conquistar mais votos.
O eleitorado, por sua vez, acredita em tudo, absolutamente tudo que ouve.
Declarações da ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff causaram polêmica pois deram a entender que ela é a favor do aborto e do casamento homossexual. E é óbvio que 98% da população brasileira é contra essas questões, e acha que elegendo Dilma, fará com que essas questões sejam aprovadas. ERRADO. Quem faz as leis são os deputados federais, e essas ficarão muuuito tempo em tramitação para quem sabe um dia serem aprovadas. O que no caso do Brasil, nesses casos, é impossível.
O eleitor, com seu cabresto invisível, tem como opção então, votar em José Serra, que apoia a bancada evangélica (conquistando 90% da população teísta do Brasil), mas também apoia a parte LGBT da sociedade -pronto, já era esses 90%. Será?
Agora eu me pergunto: um governante NÃO DEVE apoiar o segmento LGBT e teísta da sociedade? Porque então ele é tachado de hipócrita? Por conta de rivalidades entre movimentos?
Marina Silva deixava clara sua posição de evangélica e contra o casamento LGBT, mas era quem tinha as propostas mais claras para o governo na minha opinião. Pois ela não deixa a sua religião afetar o seu governo tanto assim. Ninguém 'não deixa' 100%.
Agora, o fato do movimento LGBT ter raivinha das religiões porque essas condenam a homossexualidade, e das religiões terem raivinha dos homossexuais, pelo fato de serem o que são é simplismente ridículo, pois os dois movimentos lutam pela liberdade de direitos, sendo que na verdade, não tem respeito pela diferença do outro.
Não existe só um movimento de luta, mas existe apenas uma lista de Direitos Humanos. E essa deve ser respeitada por todos, principalmente pelos governantes, garantindo assim aos cidadãos, menos rixas, menos rivalidades e mais igualdade entre todos.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Recado Incansável



Sweet Jai.
Ah, eu sinto sua falta tanto, todos os dias, como na música. E é tão bom mesmo saber que me ama, e te amar é tão bom !
Você me traz tanta felicidade, e eu espero mesmo que possa estar fazendo você feliz também. Eu te amo e quero continuar me dedicando a ti sempre, em detalhes, mesmo por vezes longe, por enquanto, podendo alegrar seu dia com mensagens, com fotos, com lembranças.
Quero estar sempre na sua memória, no seu desejo, para quando chegar a hora, se torne emocionante o reencontro, como sempre!
Também mostro meu agradecimento por tudo, pelo carinho, pela atenção, preocupação, dedicação e infinita paciência.
Eu amo seu sorriso, amo seu cabelo, amo suas pernas. Eu amo suas mãos, e suas unhas. Eu amo cada parte sua, que me fascina, que me mostra o quanto eu sou feliz.
Eu te amo porque te fazer feliz é meu objetivo, porque te amar me faz feliz, porque te esperar é minha rotina. E isso agora é a minha vida.
Eu amo você.

sábado, 2 de outubro de 2010

Hihi




Me deixas louca.

Quando caminho pela rua lado a lado com você
Me deixas louca
quando escuto o som alegre do teu riso
Que me dá tanta alegria, me deixas louca
Me deixas louca quando vejo mais um dia
Pouco a pouco entardecer
E chega a hora de ir pro quarto escutar
As coisas lindas que começas a dizer
Me deixas louca
Quando me pedes por favor que nossa lâmpada se apague
Me deixas louca
Quando transmites o calor de tuas mãos
Pro meu corpo que te espera
Me deixas louca
E quando sinto que teus braços se cruzaram em minhas
costas
Desaparecem as palavras, outros sons enchem o espaço
Você me abraça, a noite passa
me deixas louca
Sinto os teus braços se cruzando em minhas costas
Desaparecem as palavras, outros sons enchem o espaço
Você me abraça, a noite passa
e me deixas louca


-Elis Regina
Ocorreu um erro neste gadget

A TOCA;

Criação do Layout por
Fabricio Leal
leal_fabricio18@hotmail.com