quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Conversa de bar.

Estavam numa mesa de bar tomando cerveja Lacan, Freud, Adler Jung e Melanie Klein...
Depois de umas 20 cervejas Lacan perguntou:
- Senhores, o que fazemos aqui?? Qual o Desejo que está por trás de nossas conversas??
Freud, o mais velho da turma saltou na frente:
- Bom caro Lacan, somos todos homens maduros, ja temos todos nossas energias libidinais sublimadas, então é muito natural que queiramos nos entreter com alguma conversa psicológica ou filosófica...
Adler não se conteve... Bebericou um gole de cerveja e disparou:
-Não, caro Freud... Estamos aqui num jogo de poder, estamos a discutir para provarmos quem sabe e pode mais...
Jung deu uma longa baforada no seu cachimbo e disse:
-Para mim, esta é uma situação arquetípica, presente em nosso inconsciente coletivo e vivida durante muitas gerações por nossos ancestrais...
Melanie Klein, arrumou o cabelo e falou:
-Senhores, posso dar minha opinião??
Freud com um sorriso irônico debochou:
-Pode falar, ser castrado...
Melanie Klein deu uma rabanada e lascou:
-Reparem como Freud mama gostosamente no seu charuto-chupeta... Reparem como Lacan lambe os beiços ao bebericar no seu copo-têta de cerveja...
Reparem como Adler está inclinado sobre a mesa numa posição tipicamente esquizo-paranóide...
Nisto aparece um ratão branco correndo e se enredilha entre as pernas de Jung...
... Atrás vem Skinner correndo e gritando:
-Peguem este rato... Peguem este rato...
Freud o o saúda dizendo:
-Como está caro Skinner??
Skinner sempre sério retruca:
-O que fazem??
Lacan explica:
Conversamos sobre nosso Desejo... O que tem a nos dizer sobre isto??
Skinner não titubeou e respondeu:
-O que estão bebendo??
-Cerveja - respondeu Lacan...
-Que marca?? - retrucou Skinner
-Antartica...
-Vocês precisam conhecer a Nova Schin...
Todos da mesa espantados perguntaram espantados:
-Por que estimado, Skinner??
Skinner deu um sorriso sarcástico e sentenciou:
-É o que falta a todos vocês... Experimento!!! Experimento!!! Experimento!!!


/texto surrupiado da comunidade do Orkut da 8ª Turma de Psicologia da Uniararas.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

(R) feelings



Estou com medo de meus sentimentos em relação a tudo isso.
Quando saí do E-JOVEM e ví que preciso dar atenção a minha vida, e não apenas a coisas (R), percebi que isso me deu uma revolta horrível.
Talvez por ter saído de uma maneira abrupta, tenha ficado ressentimentos.
Ví como o movimento é agora, e de certa forma, não gosto. Prefiro me afastar, mas não consigo. Então o ataco. Se tornou algo ruim para mim, pensar em coisas LGBT, ter contato com coisas (R), etc.
É confuso... E eu não gosto, afinal, tudo isso fez parte de uma fase incrível da minha vida.

Muitas vezes prefiro não pensar nisso. Mas o passado não some de uma dia pro outro, e o movimento vai ganhando cada dia mais visibilidade, enchendo a mídia de coisas (R) o tempo inteiro.
As vezes tenho vontade de deletar todos os meus contatos, jogar fora os cadernos, flyers, bandeiras e pulseiras. Como se nunca tivesse existido.

Talvez não valha a pena, e eu deva continuar apoiando o movimento de alguma forma, não como antes, porque eu sei que não conseguirei, mas eu sei que faz parte de mim. Não posso desisitir assim. Mas é horrível.

Não quero ter que manter relações com (R), não quero ter que lidar com esse passado. É uma ferida enorme que ficou.
Eu não sei mesmo como lidar com isso. Quero simplismente esquecer, como se nunca tivesse existido.
Será?

sábado, 11 de setembro de 2010

Fórum de Orkut

Em uma comunidade de Religião, estávamos debatendo se o HOMOSSEXUALISMO era errado, na visão religiosa/atéia.

Lá fui eu deixar minha opinião.

DF.:''Não vou entrar na discussão, mas só para corrigir, não é correto escrever HOMOSSEXUALISMO, pois o sufixo ISMO significa patologia, e em 1° de janeiro de 1993, a Organização Mundial da Saúde retirou a homossexualidade de sua lista de doenças mentais, assim como o Conselho Federal de Psicologia proíbe os profissionais de tratarem a homossexualidade como tal (Resolução CFP Nº 01/99).''

R.: Foda-se. E a DF tem razão.

Reclamaram porque o R. tinha dito um palavrão e que não era correto isso no debate e coisa e tal. Entrei na defesa:

DF.:''Até concordo que o palavrão saiu meio mal e tal, mas eu saio na defesa.

O que o R, quis dizer : DANE-SE se o cara é gay ou não, se a mulher pega uma travesti, ou se ele resolveu se montar a noite. Simplismente DANE-SE, a cultura hoje em dia (incluindo o próprio movimento LGBT) ADORA dar notícias como ''fulano se assumiu'', siclana se casou'', sinceramente, isso não muda em nada a minha vida U_U

Então simplismente não tem propósito ficar discutindo calorosamente se é errado ou não.
Da mesma forma que religiosos condenam os ateus, eu, como atéia, não ligo nem um pouco se vc tem ou não religião, nem qual seja, isso não vai fazer eu gostar menos ou mais de você. Mas a sociedade adoooora discutiro que é errado ou não, na tal da droga da normatividade 'cristã-hétero-machista-branca' e outras mimimi insuportáveis ¬¬'''

W. entra na discussão comentando que era necessário sim esses debates para podermos sempre aprender com nossas difenreças.
Respondi:

DF.:''Sim sim, claro, entendo e aprovo sua opinião.
Mas como já convivo no meio LGBT a algum tempo, e dentro do próprio movimento existe o debate Religião x Homossexualidade, se torna simplismente irritante, você querer debater com uma pessoa, quando na verdade não é um debate, é um querendo provar que o outro está correto.
Tipo um ping-pong interminável.
''Eu estou certo por causa disso, aceite.''
''não, eu estou certo, aceite você''
É simplismente ridículo.''



Recado para fanáticos religiosos e para o MovimentoLGBT que se faz cada vez mais fútil.


Ocorreu um erro neste gadget

A TOCA;

Criação do Layout por
Fabricio Leal
leal_fabricio18@hotmail.com