quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Uma única célula

Dentro do carro, você só vê a rua passando, os lugares, sempre os mesmos, embora essa cidade seja gigante. É como se tudo fosse igual. Cada prédio, cada rua, cada pessoa.
De repente, a pequena diz: ''olha a Thaís alí'' ; como se fosse a coisa mais banal, se referindo a uma grande amiga minha de infância, passando na rua.
Olhei-a, ansiosa.
Ela não mudara nada, desde o tempo em que saiamos juntas todos os dias, iamos para a escola e passamos o intervalo fofocando junto com as outras meninas, a Carol, a Bia, a Jesther. As melhores companhias do meu Ensino Fundamental.
Ela estava com a mesma maneira rápida e incompreensivel de andar, curvada. Estava com uma bolsa que lhe dei de presente a uns 3 anos atrás.
Comecei a imaginar como estaria sua vida, como estariam seu irmão, seus pais. Adorava-os tanto. E as outras meninas? Sabia que a Bia ainda estava no mesmo colégio em que nos conhecemos. Que a Carol se mudara para Araraquara, ficou um tempo por lá, mas acabara de voltar para Sampa.
E a Jesther, sempre a mais difícil. Simplismente...desapareceu. Sem telefone, internet, sinal de fumaça, nenhum tipo de contato conosco.

Com certeza, para todas foi uma época incrível e me dou o direito de falar por nós 5. Foi um aprendizado, um crescimento, uma fase incrível, recheada de momentos felizes, de brigas, de tristezas, choros, discussões, separações e reconciliações. Muitas risadas, muitas lembranças. ABCJT.

Fico pensando o que causou essa separação, não nos vermos, não nos falarmos direito mais. Primeiro foi mudança de escola. TOdas as 5 do SAA, e cada uma foi pra um canto. Depois, creio que foi o amadurecimento natural. Cada uma com suas idéias, relacionamentos, familia, e rotina, fez com que se criasse uma baita de uma distância entre o que tinhamos de mais importante, a união.

Talvez não nos esforçamos muito. Talvez era pra ter sido assim mesmo. Não sei. Mas sinto falta das minhas amigas, sinto mesmo. Guardo até hoje o anel, a fita, as fotos. As lembranças. Espero que um dia nos reencontremos, pra colocar as novidades de um bom tempo, em dia.
Só não digo que tenho certeza. Na época, a nossa unica certeza é que seríamos sempre um, uma única célula de amizade imensa, eterna, e agraciada, cada uma por 4 irmãs de alma.

I miss you all.

4 comentários:

  1. eu sinto tanto, até hoje, ter acabado desse jeito . me culpo por algumas partes, mas tenho ainda alguma esperança de que um dia a gente possa pelo menos se encontrar, conversar.

    o texto tá ótimo, ótima escritora voce, parabéns :D

    ResponderExcluir
  2. Foda Cati. Andavamos em 4,ava série, dando voltas pela quadra e sentando em grupo na oitava série. cada um pra um canto, hoje, mas são inesquecíveis.

    ResponderExcluir
  3. eu sinto saudades, de todas vocês.as coisas engraçadas, tristes, as dificuldades e superações, tudo mais que passamos juntas, formaram a pessoa que sou hoje. vcs fizeram parte dos meus anos dourados, e me entristece saber que não somos as mesmas. mas como diz aquela música "mudaram as estações,e nada ficou. mas eu sei que alguma coisa aconteceu, tá tudo assim tão diferente."
    mas não importa o que aconteceu e nem o que vai acontecer; vocês são a melhor parte de mim e das minhas lembranças.
    e eu amo vocês.

    ps: pra variar, a amanda foi demais. parabéns :)

    ResponderExcluir
  4. Amor!!! Que texto lindo! Simplesmente belo.
    Te amo ♥

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

A TOCA;

Criação do Layout por
Fabricio Leal
leal_fabricio18@hotmail.com